Combater a obesidade

Modificação da dieta

Os programas de perda de peso pressupõem a escolha condicionada de alimentos e a prática de exercício físico, frequentemente associados a alterações comportamentais, educação nutricional e apoio psicológico.

Quando esta estratégia global falha – não se verifica a redução da gordura corporal, pode recorrer-se à terapêutica medicamentosa e, se for caso disso, à intervenção cirúrgica.

Pressupostos de uma dieta saudável

A implementação de dietas equilibradas constitui o método mais simples de perda de peso corporal.

A dieta deverá ser nutricionalmente adequada com um aumento energético limitado, para obrigar a usar as gorduras entretanto armazenadas na satisfação das necessidades energéticas diárias.

Quantitativamente, a restrição escolhida varia com as características e actividades particulares dos indivíduos, mas podem-se considerar 3 categorias restritivas:
– Dieta moderada, com imposições calóricas de 1200 Kcal e 1400 Kcal diárias, respectivamente para os sexos feminino e masculino
– Dieta de baixo valor calórico, com valores na ordem das 800 ? 1200 Kcal e das 800 ? 1400 Kcal diárias, para mulheres e homens, respectivamente
– Dieta de muito baixo valor calórico em que apenas se admitem, no máximo, 800 Kcal diárias

Independentemente do patamar de restrição seleccionado, não se dispensa a alimentação saudável, acompanhada pela prática de exercício físico.

Para as duas primeiras opções apresentadas, considera-se adequado um esquema em que os hidratos de carbono correspondam a 50-55% do total diário de Kcal, as proteínas contribuam com cerca de 15-25% desse total (para que sejam exoneradas de aproveitamento para a produção de energia)e, as gorduras não devam exceder os 30%.

A inclusão de uma dose extra de fibra é recomendada para reduzir a densidade calórica, promover a saciedade (ao atrasar o esvaziamento gástrico) e minorar a eficiência da absorção intestinal.

Há quem proponha outras modalidades para esta distribuição. Assim, por ex., a restrição das gorduras a 10% do total de Kcal diárias e a ocupação de 80% pelos hidratos de carbono, conduz a uma perda de peso rápida.

Atendendo a que a gordura disponibiliza mais do dobro da energia por grama que os hidratos de carbono ou as proteínas (9 Kcal versus 4 Kcal), uma dieta eficiente será aquela em que é controlada a ingestão de gorduras.
Para além da sua riqueza energética, a gordura fomenta ainda o tecido adiposo (chamado efeito lipogénico).

As vitaminas e os minerais continuam a ser indispensáveis em quantidade suficientes para satisfazer cabalmente as DDRs ( Doses Diárias Recomendadas).

O condicionamento do consumo de álcool e de alimentos com elevadas quantidades de açúcar resulta do facto de estes se perfilarem como dispensadores supérfluos de energia.
O álcool, que constitui cerca de 10% da dieta de consumidores regulares, fornece 7 Kcal/g, comportando-se como as gorduras ao impedi-las de serem utilizadas.

Quanto aos adoçantes artificiais, não há evidência científica que demonstre que a sua utilização reduza a ingestão de alimentos ou resulte em perda de peso.

6 medidas práticas para combater a obesidade

1. Se não é possível alterar a herança genética, deve-se intervir sobretudo ao nível dos hábitos alimentares e do estilo de vida, para os tornar mais saudáveis.

2. É muito importante combater o sedentarismo, promovendo a actividade física regular, para um maior consumo energético. Deve-se escolher uma actividade de acordo com as capacidades físicas e gostos: andar a pé, nadar, dançar, correr, bicicleta, etc..

3. Optar por uma alimentação saudável, variada e agradável, mas restritiva, isto é, hipocalórica. Para tal, há que reduzir ou abolir os alimentos mais ricos em calorias: açúcares e doces, bebidas alcoólicas e gorduras.

4. É preferível o peixe à carne. As carnes brancas são preferíveis às vermelhas. Para acompanhamento, sugerem-se hortaliças e legumes cozidos ou crus, sempre que possível sob a forma de sopa precedendo o prato principal. Frutas e farináceos devem ser consumidos em quantidades moderadas. A água e o leite pois são bebidas indispensáveis. É importante dividir as refeições e ir comendo várias vezes ao longo do dia.

5. Vigiar o peso regularmente.

6. Os aspectos psicológicos resultantes de carências afectivas, stress, ansiedade, instabilidade, insegurança, etc., podem levar algumas pessoas a comer em excesso. Por isso, no combate à obesidade, esses problemas devem ser detectados e resolvidos.

Perda de peso: velocidade e quantidade

Uma perda de peso corporal sustentada e constante, durante longos períodos, favorece a perda de gorduras e limita a perda de proteínas.
O médico vai ajudar a estabelecer objectivos concretos a uma velocidade de perda que considere indicada para a manutenção da saúde.

Cuidados a ter

Cada vez mais surgem novas estratégias, por vezes bizarras, de perda de peso. Apesar da fiabilidade de alguns destes programas, a maioria dá ênfase a fórmulas que garantem emagrecimentos imediatos com um esforço mínimo.

Frequentemente estas dietas provocam carências nutricionais graves, estendidas por períodos de tempo por vezes longos. Os seus efeitos potencialmente negativos acabam por não se verificar, já que muitos destes programas são abandonados algum tempo após o seu início.
Tome atenção às ofertas apontadas e consulte o médico.