A Obesidade: Adultos

A obesidade é um problema grave que afecta de modo crescente as sociedades contemporâneas ocidentais e que nos merece de todos a maior atenção. Conhecimentos sobre o tema constituem uma ferramenta importante para uma actuação correcta perante o mesmo.

Conceito

A obesidade é o excesso de gordura acima do normal, facilmente identificado por todos. Tecnicamente para avaliarmos se uma pessoa é obesa utilizamos o Índice de Massa Corporal (IMC), o qual é obtido pela divisão do peso em quilos pelo quadrado da altura em metros. Se o valor obtido for superior a trinta, então estamos perante uma situação de obesidade.
IMC= Peso (m)
Altura2 (cm)

Por exemplo: para uma pessoa de 70 kg e 1,70 m de altura, o IMC calcula-se do seguinte modo:
IMC = 70/(1,70 x 1,70) = 24,22

Origem do problema

A obesidade surge quando ingerimos mais calorias do que aquelas que gastamos e não praticamos exercício físico regular. Actualmente a OMS (Organização mundial de Saúde), que elaborou um relatório sobre obesidade, classificou este problema como the new world syndrome e considerou-o decorrente da globalização que, ao provocar uma uniformização informativa e cultural, implica uma produção de alimentos uniforme e centralizada e a um estabelecimento de modas alimentares. As pessoas comem todas o mesmo e da mesma maneira e a moda são as refeições hipercalóricas que estão formatadas de acordo com uma filosofia comercial que pretende captar e seduzir o nosso paladar da maneira mais fácil e imediata: bolos, batatas fritas, fritos em geral, gelados, bolos, sobremesas diversas, etc. são uma tentação permanente e omnipresente.

Para além do nosso estilo de vida predispor a obesidade; há ainda factores genéticos envolvidos, cujo mecanismo de intervenção neste processo está em avaliação.

Para quem, por imperativos profissionais, tem necessidade de ?comer fora?, as seguintes regras são de grande utilidade:
– Prescinda dos aperitivos
– Não seleccione fritos
– Eleja pratos acompanhados de vegetais
– Acompanhe a refeição com água
– Prefira fruta como sobremesa

Os riscos da obesidade

Muitas doenças estão associadas ou são uma consequência da obesidade: hipertensão arterial, colesterol e triglicéridos elevados, diabetes, doença coronária (cardíaca), doença vascular, fígado gordo e doenças osteoarticulares são algumas delas. Se a obesidade exige intervenção de um especialista, então no caso em que já lhe estão associadas complicações, a vigilância médica é absolutamente indispensável.

Como proceder na obesidade

As duas armas cruciais para prevenir o excesso de peso ou a obesidade, são um estilo de vida activo e uma alimentação cuidada. Para cumprir estes requisitos devemos portanto:
– praticar regularmente exercício físico
– praticar uma alimentação equilibrada
, isto é, pobre em gorduras e doces e abundante em produtos hortícolas, legumes, frutas e fibras. Os glícidos (farináceos) não devem ser esquecidos e devem ser ingeridos uma moderada quantidade de carne ou peixe. O peixe e as carnes de aves são preferíveis ás carnes vermelhas. A água é essencial.

Se tem peso a mais e o seu médico o aconselhou a perder peso, torna-se necessário que, com a urgência que o caso exija, tome medidas para evitar possíveis complicações.

É importante que a perda de peso se faça de uma forma saudável e gradual e que o peso saudável atingido se mantenha. Variações bruscas de peso são indesejáveis. Munido da necessária ?força de vontade?, o tratamento da obesidade faz-se através de uma dieta personalizada.

Quando há necessidade o médico pode entender adequado recorrer medicamentos a intervenção cirúrgica.

Aumento de peso associado à pílula

A pílula anticoncepcional é constituída por estrogénios (20 ? 100 mg por comprimido) e progestativos que são as hormonas do ciclo menstrual.
Estas duas substâncias têm a particularidade de poder implicar em algumas mulheres:
– ganho de peso
– aumento do apetite
– aumento do volume dos seios
– retenção de água e alterações a circulação (venosa)
As pílulas da nova geração minoram estas queixas tendo em consideração que apresentam dosagens muito inferiores ás pílulas antigas. Pode optar com o conhecimento do seu médico pela utilização da micro-pílula com uma só substancia e de baixa dosagem tem é que a tomar sempre a horas certas, mesmo durante o período menstrual.

O que é o peso ideal?

O peso é influenciado por factores físicos e psicológicos, pelo estado de saúde, pela alimentação praticada e pela energia despendida.

Se considera existirem alterações no seu peso, terá de cumprir duas etapas fundamentais:
– Determinar com rigor qual o seu peso ideal;
– Tomar medidas para ajustar o seu peso real aos valores, cientificamente estabelecidos, adequados às suas características físicas
O peso que as pessoas entendem ser ideal para si, não é necessariamente o peso que devem ter para garantir uma vida saudável.

Por esta razão, antes de iniciar uma dieta, deverá consultar o médico endocrinologista. Este determinará a melhor maneira de corrigir os erros alimentares e implementará uma dieta adequada ao seu organismo.

Apesar não se poder falar em peso ideal absoluto, há processos de cálculo de um intervalo de valores, dentro dos quais se deverá situar o seu peso correcto.